PLAYER 01 WEB RADIO TROPICAL

PLAYER 01 - AUXILIAR DA WEB RADIO TROPICAL

PLAYER PARA ANDROIDE E SAMARTFONA

PLAYER PARA ANDROID E SMARTFONE PARA OUVIR CLICK NO PLAY

sexta-feira, 17 de abril de 2015

Suspeitos de assaltos na Baixada Campista são detidos



Divulgação
Clique na foto para ampliá-la
Material apreendido durante prisões de suspeitos
Policiais militares prenderam dois homens após um assalto na noite desta quinta-feira (16), na RJ-216, na Baixada Campista.

De acordo com informações da Polícia Militar, durante patrulhamento de rotina pela localidade de Donana, a guarnição teria avistado uma motocicleta Honda de cor vermelha, trafegando com o farol apagado. Após abordagem e revista, os suspeitos, identificados pelas iniciais J.R.S. e o carona seria P.R.S.G.J., teriam tentado esconder um revólver calibre 38 com cinco munições intactas, além de dois celulares que seriam roubados.

Ainda de acordo com a PM, os agentes teriam recebido denúncias que os homens estariam praticando assaltos nas proximidades. 

Os suspeitos foram encaminhados para a 134ª Delegacia Legal (Centro), onde a ocorrência foi registrada. 

Polícia apreende drogas na Tira Gosto





Clique na foto para ampliá-la
Drogas foram apreendidas na tarde desta sexta-feira (17)
Policiais militares apreenderam 95 sacolés de maconha e 15 sacolés de cocaína durante ronda de rotina na tarde desta sexta-feira (17) na Avenida Rui Barbosa, na Tira Gosto, em Campos. Segundo a PM, os agentes faziam a ronda quando avistaram um grupo de homens em atitude suspeita. Ao avistarem a viatura, eles fugiram, deixando para trás todo o material. As drogas foram encaminhadas para a 134ª Delegacia Legal (DL/Centro), onde a ocorrência foi registrada.

Cliente chamado de "mal educado" protocola ação contra empresa



Divulgação/Facebook
Clique na foto para ampliá-la
Cliente foi chamado de "mal educado" em fatura
A empresa de telefonia Claro que chamou o cliente Bruno França, de 26 anos, de São João da Barra, de "cliente mal educado" ao enviar uma fatura referente ao serviço de telefonia móvel e conexão com a internet no início da semana, foi acionada judicialmente e pode ter que pagar indenização por danos morais. A ação foi protocolada nesta sexta-feira (17). O insulto pode ter sido gerado após uma reclamação de Bruno pela má prestação do serviço.

Bruno conta que em março, antes de a fatura ter sido gerada, ele entrou em contato com a operadora para reclamar sobre um problema na qualidade da conexão com a internet. "Eu liguei e a atendente ficou me enrolando, falando que ia passar a ligação para o supervisor. Com a demora, eu disse que ia procurar os meus direitos e se fosse preciso, entrar na justiça. Depois disso, pedi o número do protocolo, mas ela não me deu e a ligação caiu", disse.

Em seguida, Bruno disse que registrou a reclamação em um site de defesa do consumidor e da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel).Segundo ele, a Claro entrou em contato e resolveu o problema da conexão. "Eu jamais iria imaginar que fosse receber a fatura me chamando de 'cliente mal educado'. Isso é um absurdo. Já entrei em contato com a Claro e eles só me dizem que fazem treinamento com os funcionários, mas ainda não se posicionou oficialmente", afirmou.

Além de registrar a reclamação, Bruno através de sua advogada protocolou uma ação judicial contra a empresa requerendo pagamento de indenização por danos morais. Através de nota a assessoria de imprensa da Claro informou "que realiza treinamentos constantes em todos os pontos de contato com os seus clientes, buscando a excelência no atendimento. A operadora esclarece que já está analisando o caso em questão".

Polícia do Rio encerra reconstituições de três mortes no Alemão


Trabalhos foram realizados simultaneamente em 3 pontos da comunidade.
Óbitos de Eduardo, Elizabeth e Capitão Uanderson são investigados.

Do G1 Rio
As reproduções simuladas das mortes do menino Eduardo Ferreira de Jesus, da dona de casa Elizabeth Alves de Moura Francisco e do capitão Uanderson Manoel Gomes da Silva, no Conjunto de Favelas do Alemão, Zona Norte do Rio, que começaram na manhã desta sexta-feira, terminaram às 18h30.

Os trabalhos foram realizados simultaneamente em três pontos da comunidade. Participaram da reconstituição 120 agentes da Polícia Civil, além de 10 peritos, e mais de 20 PMs. Dentre eles, os três suspeitos de envolvimento na morte de Eduardo Jesus. As informações foram divulgadas pelo delegado da Divisão de Homicídios, Rivaldo Barbosa.
Alemão reconstituição crimes 02 (Foto: Erbs Jr./Frame/Estadão Conteúdo)Crianças fazem protesto onde Eduardo morreu
(Foto: Erbs Jr./Frame/Estadão Conteúdo)
Antes de começarem as reconstituições, o delegado afirmou que nenhum culpado será poupado e ressaltou a importância do trabalho conjunto entre as polícia Militar e Civil, o Ministério Público e a Defensoria Pública.
Elizabeth Alves, de 41 anos, morreu ao ser baleada dentro de casa, em março, mesmo mês que Eduardo de Jesus Ferreira foi baleado na rua, na localidade conhecida como areal, segundo a família, por PMs. Já capitão Uanderson Manoel Gomes da Silva, ex-comandante da UPP, morreu em setembro de 2014.
Com as reproduções simuladas, a polícia pretende esclarecer as circunstâncias em que cada uma das vítimas foi baleada. No caso do Eduardo, por exemplo, a simulação começou de fato somente às 17h30, horário em que o menino foi baleado. Segundo Rivaldo, o objetivo é que a ação esteja o mais próxima possível do momento do crime, como as condições de luminosidade no local, por exemplo.
Ainda de acordo com o delegado, os peritos que trabalharam nos três casos terão entre 15 e 45 dias para apresentarem os laudos que poderão apontar a autoria dos disparos que mataram as três vítimas.
Encapuzado, agente da Polícia Civil participa da reconstituição de assassinatos no Complexo do Alemão: o do menino Eduardo de Jesus, da dona de casa Elizabeth de Moura Francisco e do capitão da PM Uanderson Manoel da Silva, na Zona norte do Rio (Foto: Carlos Moraes/Agência O Dia/Estadão Conteúdo)Encapuzado participa da reconstituição do capitão da PM Uanderson Manoel da Silva, na Zona norte do Rio (Foto: Carlos Moraes/Agência O Dia/Estadão Conteúdo)
"Não trabalhamos sobre pessoas. Nós investigamos os fatos. A reprodução simulada é imprescindível para esclarecer o caso. Precisamos estabelecer os locais onde estavam as vítimas, policiais e pessoas que possam ter visto ou ouvido o que aconteceu", disse o delegado Rivaldo Barbosa.
Pezão recebeu famílias de Eduardo e Elizabeth no Palácio Guanabara (Foto: Shana Reis/Governo do Rio)Pezão recebeu famílias de Eduardo e Elizabeth
(Foto: Shana Reis/Governo do Rio)
O governador Luiz Fernando Pezão participou de uma reunião com a Defensoria Pública na quinta-feira e ficou acertado que o estado vai indenizar as famílias das vítimas assim que acabarem as investigações.
Família de Eduardo era aguardada
Os pais de Eduardo voltaram ao Rio nesta quarta-feira (15) após cerca de 10 dias de viagem do interior do Piauí, onde o menino de 10 anos foi enterrado. Os parentes foram recebidos no início da noite por agentes da DH, que os levaram para a delegacia, na Barra, onde prestaram depoimento.
José Maria, pai do garoto, disse que a família não vai ficar na casa onde morava no Morro do Alemão durante os dias em que permanecer no Rio.
"Não vamos voltar pra lá. Vamos ficar na casa de um dos meus irmãos que também mora no Rio de Janeiro", contou. Além de José Maria, a mãe, duas irmãs de Eduardo e um sobrinho, foram ao Piauí para o enterro do menino, que aconteceu no dia 6 na cidade de Corrente.
O crime
Eduardo de Jesus Ferreira foi baleado na porta de sua casa e morreu na hora no fim da tarde do dia 2. Terezinha diz ter certeza de que um policial fez o disparo. Os policiais que participaram da operação que culminou com a morte do menino foram afastados das ruas.
Segundo o laudo da perícia, a criança foi atingida por uma bala de “alta energia cinética”, possivelmente disparada de um fuzil. Na ocasião, policiais militares tinham sido atacados por suspeitos e estavam revidando a agressão numa área de mata, conhecida como Areal.
Nesta terça (14), dois PMs que admitiram que deram tiros perto do local onde ele morreuprestaram depoimento. Segundo o advogado Rafael Abreu Calheiros, os PMs reiteraram que atiraram porque foram atacados.
"Aonde eles estavam é chamado 'quadrado do tráfico'. Já teve um policial que foi morto lá", disse o defensor, enfatizando que "numa  agressão, houve uma justa reação".
Agentes da Polícia Civil fazeM a reconstituição de três assassinatos ocorridos no Complexo: O do menino Eduardo de Jesus, da dona de casa Elizabeth de Moura Francisco e do capitão- PM Uanderson Manoel da Silva, no Complexo do Alemão, Zona norte do Rio (Foto: Fábio Motta/Estadão Conteúdo)Agentes da Polícia Civil fazem a reconstituição (Foto: Fábio Motta/Estadão Conteúdo)

Imagens mostram assalto a pedestres em Niterói, no RJ


Homens estavam em uma moto e ameaçaram vítimas com uma arma. 
Criminosos levaram bolsa de mulher e fugiram.

Do G1 Rio
Imagens de uma câmera de segurança flagraram um assalto em Niterói, Região Metropolitana do Rio, na quinta-feira (16). Dois homens de moto – pelo menos um deles armado – abordam uma mulher e uma estudante na Rua Miguel Couto no bairro Icaraí. Eles roubaram a bolsa da mulher. As imagens foram obtidas com exclusividade pela Globo News.
Os criminosos entraram na contramão da rua e subiram a calçada com a moto. A mulher ainda tenta fugir, mas é segurada por um dos assaltantes. O comparsa permaneceu na moto e apontou uma arma para as vítimas. Ambos fugiram.

Fraudes na prefeitura de Mangaratiba chegavam a R$ 10 milhões, diz MP


Prefeito e dois secretários foram presos; justiça decretou bloqueio dos bens.
Eles vão responder por fraude, falsificação e ameaças a testemunhas.

Káthia MelloDo G1 Rio
O Ministério Público do Rio, informou que foram identificadas 16 fraudes em processos de licitações, no valor de R$ 10 milhões, na prefeitura de Mangaratiba, município da Costa Verde do estado. O prefeito Evandro Bertino Jorge (PSD), conhecido como Evandro Capixaba e outros dois secretários da prefeitura, foram presos presos nesta sexta-feira (17). A Justiça determinou o bloqueio dos bens do prefeito a pedido do Ministério Público. Ele foi afastado do cargo e o vice-prefeito, Ruy Quintanilha (PSB), assumiu a prefeitura na tarde desta sexta. Há um ano, ele tinha rompido politicamente com o prefeito preso. Ele disse que vai fazer uma auditoria nas contas da prefeitura.
De acordo com o MP, os vencedores das licitações eram "cartas marcadas". Em uma delas, que envolvia a compra de um total de R$ 1 milhão em sacos de lixo, o desvio foi de R$ 590 mil para os cofres públicos da cidade. Segundo o MP, o próprio empresário confirmou ter recebido menos da metade do valor contratado na licitação. Ainda de acordo com o MP, eles são suspeitos de fraudar licitações, falsificar documentos, coagir e ameaçar testemunhas, entre elas, dois jornalistas.
Prefeito de Mangaratiba, Evandro Capixaba (Foto: Reprodução/TV Globo)Prefeito de Mangaratiba, Evandro Capixaba
(Foto: Reprodução/TV Globo)
De acordo com o MP, os jornalistas foram ameaçados, a mando do prefeito, por integrantes do governo, entre eles, o secretário de Segurança e Ordem Pública. Segundo a investigação, em uma das ameaças a pessoa foi até a casa dos jornalistas armada.
O MP disse que o  secretário de segurança deu ordem para que a Guarda Municipal recolhesse das bancas o jornal Rota Verde, que pertence a um dos jornalistas.
O subsecretário subprocurador-geral de Justiça de Assuntos Institucionais e Judiciais, Alexandre Araripe Marinho, considerou que as ameças são um atentado à democracia.
" Ameaça a jornalista é ameaça à democracia. A liberdade de imprensa e de Justiça são duas liberdades fundamentais. Não existe democracia sem imprensa livre", disse.
Um vídeo mostrou o momento da prisão do prefeito (veja ao lado). Nas imagens, divulgadas pela página Radar Costa Verde, agentes da Coordenadoria da Segurança e Inteligência (CSI) do Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro passam por vários cômodos da mansão onde Evandro mora, na praia de Muriqui.
O secretário de Segurança e Ordem Pública, Sidney Ferreira, também foi preso na mesma operação. À tarde, o secretário de Comunicação, Roberto Pinto dos Santos, se entregou na Delegacia de Repressão e Combate ao Crime Organizado (Draco). Ao todo, estão envolvidas na fraude 44 pessoas, sendo 17 servidores públicos e 27 empresários.
Segundo o MP, 14 empresas participavam das licitações fraudadas. Bertino Jorge também foi denunciado por atos de improbidade administrativa. Além dos mandados de prisão, foi requerida ainda a indisponibilidade de bens do prefeito e de outros integrantes da quadrilha e a suspensão do exercício funcional dos servidores públicos envolvidos no crime.
O subsecretário subprocurador-geral de Justiça de Assuntos Institucionais e Judiciais, Alexandre Araripe Marinho, considerou que as ameças são um atentado à democracia.
" Ameaça a jornalista é ameaça à democracia. A liberdade de imprensa e de Justiça são duas liberdades fundamentais. Não existe democracia sem imprensa livre", disse.
Prefeito se defende
Em nota, o prefeito de Mangaratiba, Evandro Bertino Jorge, afirma que repudia e nega veementemente todas as denúncias do Ministério Público Estadual.
A defesa de Evandro Capixaba vai interpor todos os recursos possíveis na Justiça para reverter sua prisão. Segundo a defesa, o prefeito vinha colaborando com as investigações, e sempre esteve à disposição do Ministério Público Estadual para prestar os esclarecimentos necessários por ser o principal interessado em comprovar sua inocência, idoneidade e zelo na aplicação dos recursos públicos.

Ainda segundo a nota, "assim que tomou conhecimento da investigação do Ministério Público, o prefeito criou uma Comissão Especial, integrada por membros da Controladoria-Geral do município e da subprocuradoria, para apurar as denúncias relacionadas às licitações".

Imagens fortes mostram agressão que levou à morte de dançarina no RJ


Vídeo mostra Amanda Bueno sendo espancada e baleada em casa.
Noivo da vítima confessou o crime e disse ter tido um 'surto', diz advogado.

Cristina Boeckel, Henrique Coelho e Lívia TorresDo G1 Rio
Imagens divulgadas nesta sexta-feira (17) pela página no Facebook do Radar Costa Verde mostram o momento em que a dançarina Amanda Bueno, de 29 anos, foiagredida e baleada antes de morrer.
O noivo da ex-integrante da Jaula das Gostozudas e da Gaiola das Popozudasconfessou o assassinato, que teria sido motivado por ciúmes. Em depoimento, segundo o advogado Hugo Assumpção, ele disse que teve um "surto" e que está arrependido.
Segundo a polícia, a dinâmica do crime corresponde à do vídeo, que é analisado como prova – nesta reportagem, as imagens foram editadas por conter cenas fortes (veja acima).
Miltinho da van foi preso (Foto: Cristina Boeckel/ G1)Miltinho da Van foi preso (Foto: Cristina Boeckel/ G1)
Pouco depois do homicídio, Miltinho foi preso ao capotar, durante fuga da polícia, com um carro roubado na porta de casa. O assalto também foi registrado pelas câmeras. Quatro armas, incluindo uma espingarda semelhante à que aparece no vídeo, foram encontradas no veículo.
De acordo com o delegado Fábio Cardoso, da Divisão de Homicídios da Baixada, Milton foi indiciado por roubo majorado com emprego de arma de fogo, porte ilegal de arma e homicídio triplamento qualificado – agravado por motivo fútil e ausência de chance da vítima.
Segundo Cardoso, a tipificação foi baseada no novo crime de feminicídio. A lei para assassinatos de mulheres por razão de gênero foi sancionada em março pela presidente Dilma Rousseff efunciona com agravante do crime de homicídio, além de ser classificado como hediondo. Se condenado, a pena pode chegar a 67 anos de prisão.

Noivos 4 dias antes
Amanda Bueno, que na verdade se chama Cícera Alves de Sena, ficou noiva de Milton Severiano Ribeiro, conhecido como "Miltinho da Van", de 32 anos, quatro dias antes do crime.  Milton ganhou este apelido por trabalhar com transporte alternativo em Nova Iguaçu. A polícia agora vai investigar a ligação de Milton com milícias da região.
"Uma pessoa que controla tantas linhas de vans, tem tantas armas sem registro em casa e um esquema de segurança tão grande envolvendo a sua casa será investigado para sabermos se está relacionado com outros crimes", explicou o delegado Fábio Cardoso.
O assassinato ocorreu na casa do casal, em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense, no fim da tarde desta quinta-feira (16). As imagens de câmeras de segurança mostram um homem e uma mulher saindo pela porta. Eles caem no chão do jardim e ele começa a bater com a cabeça dela na pedra, antes de dar vários socos no rosto da mulher, já sem reação.
Em seguida, o homem se levanta, volta com uma arma e dispara contra a mulher. A gravação corresponde à dinâmica do crime descrita por policiais. Investigadores confirmaram que o vídeo está sendo analisado pela polícia como prova.
Milton Ribeiro tem duas passagens pela polícia por agressões a mulheres. A informação é Divisão de Homicídios da Baixada, que investiga o homicídio.
  •  
  •  
Imagens fortes mostram agressão que levou a morte de dançarina no RJ (Foto: Reprodução?Facebook Radar Costa Verde)Imagens mostram agressão que levou à morte de Amanda (Foto: Reprodução/Facebook /Radar Costa Verde)
Depois da morte de Amanda, o suspeito se envolveu em um acidente de trânsito e acabou preso. A polícia encontrou pelo menos quatro armas dentro do veículo. A casa onde o casal morava estava interditada na manhã desta sexta-feira (17) para a realização da perícia.
Marido é o principal suspeito pela morte da dançarina Amando Bueno, no Rio (Foto: Reprodução/TV Globo)Noivo foi preso e é o principal suspeito pela morte
(Foto: Reprodução/TV Globo)
De acordo com o delegado Fábio Cardoso, da Divisão de Homicídios da Baixada Fluminense (DHBF), o suspeito, que teria roubado um carro logo após assassinar a mulher, foi localizado por agentes da unidade e, ao tentar escapar,perdeu o controle da direção do veículo e capotou.
Ele foi encaminhado, sob escolta policial, ao Hospital da Posse, e liberado com ferimentos leves.
Discussão
De acordo com a polícia, o crime ocorreu por volta das 17h30 na casa onde o casal vivia. Vizinhos teriam ouvido uma discussão seguida de disparos de arma de fogo.
  •  
Dançarina de funk Amanda Bueno (Foto: Reprodução / Facebook)Dançarina de funk Amanda Bueno tinha 29 anos (Foto: Reprodução / Facebook)
O corpo de Amanda foi levado para o Instituto Médico-Legal (IML). Milton Severiano Ribeiro será transferido para um presídio nesta sexta, informou a polícia.
Amanda, cuja família é de Goiânia, deixou a Jaula das Gostozudas em janeiro de 2013. "Tão linda. A cena mais chocante que eu já vi", publicou numa rede social uma amiga da dançarina.
Amanda ficou noiva de Milton 4 dias antes de morrer (Foto: Reprodução/Facebook)Amanda ficou noiva de Milton 4 dias antes de morrer (Foto: Reprodução/Facebook)
Valesca Popuzuda lamenta
A cantora Valesca Popozuda lamentou a morte de Amanda Bueno em uma mensagem em sua rede social na internet. Elas trabalharam juntas durante um período no grupo Gaiola das Popozudas. Na mensagem, Valesca relembrou relembrou o convívio nos shows e nas viagens com Amanda Bueno. Confira na íntegra:
"Meus pêsames a toda Família da ‪#‎AmandaBueno‬. Uma moça que teve seus sonhos interrompidos deixando amigos e família órfãs de seu sorriso e sua presença, Amanda assim como muitas mulheres no mundo foi vítima de violência doméstica, existem donas de casas, advogadas, médicas que sofrem da mesma violência que Amanda sofreu, infelizmente o fim dela foi triste e de uma forma violenta e trágica. Fica meu respeito pela pessoa da Amanda , ficam as lembranças dos shows, as risadas nas viagens e a lembrança da Garra que ela tinha em querer um futuro melhor para sua Filha e sua mãe. Peço a Deus que dê o descanso merecido para Amanda e o conforto necessário para toda sua família".
Valesca Popozuda postou mensagem de solidariedade à família de Amanda Bueno (Foto: Reprodução / Facebook)Valesca Popozuda postou mensagem de solidariedade à família de Amanda (Foto: Reprodução / Facebook)
Tem alguma notícia para compartilhar?  Envie para o VC no G1.