PLAYER 01 WEB RADIO TROPICAL

PLAYER 01 - AUXILIAR DA WEB RADIO TROPICAL

PLAYER PARA ANDROIDE E SAMARTFONA

PLAYER PARA ANDROID E SMARTFONE PARA OUVIR CLICK NO PLAY

sexta-feira, 4 de setembro de 2015

Inscrições para curso gratuito de corte de cabelo em SFI


            

A Prefeitura Municipal de São Francisco de Itabapoana, através da Secretaria Municipal do Trabalho, da Assistência e Promoção Social - SMTAPS e do Programa de Geração de Trabalho e Renda – GTR, abre inscrições para curso de corte de cabelo. São 50 vagas (25 no turno da manhã e 25 no turno da tarde) que serão preenchidas por ordem de chegada. 

Os interessados deverão se dirigir à Secretaria de Promoção Social entre os dias 08 e 11 de setembro de 2015, das 9h às 16h , com original e cópia dos seguintes documentos: CPF, Identidade, Comprovante de Residência (atualizado) e , caso tenha , o cartão Bolsa Família. A idade mínima exigida para inscrição no curso é de 16 anos.

As aulas serão ministradas no Centro de Referência de Assistência Social - CRAS do centro da cidade e terão início no dia 14 de Setembro de 2015. Quaisquer dúvidas poderão ser esclarecidas na Secretaria Municipal do Trabalho, da Assistência e Promoção Social, ligando para: 2789-1166.       


--
Assessoria de Comunicação

Festa da Independência em SFI



Em comemoração a semana da Pátria, a Prefeitura de São Francisco de Itabapoana, por meio da Secretaria de Educação e Cultura, em parceria com a Secretaria de Turismo,  Indústria e Comércio, está realizando a tradicional Festa da Independência, na localidade de Ponto de Cacimbas, entre os dias 06 e 07 de setembro.

Além da realização de uma semana de desfile cívico, com a participação de dez escolas, está prevista na programação, no domingo (06),  às 14h, cavalgada e,  às 17h30, Show com  Alex Miller. Aos amantes do forró, ainda no mesmo dia, haverá Show com Amigos do Forró, a partir das 21h. 

A festa se encerra no feriadão de segunda feira (07), data em que se comemora a independência do Brasil, com desfile cívico, às 14h,  e  Show com Os Piratas do Forró, às 21h30.

No espaço onde acontece a festividade, o público pode conferir barracas com comidas típicas do município, entre outras opções de consumo.

O prefeito Pedrinho Cherene disse estar satisfeito por conseguir realizar mais um evento cultural no município, que traz benefícios tanto para educação quanto para o turismo na região.

“O governo municipal, através de planejamento orçamentário bem estratégico, não paralisou os investimentos no município, apesar do momento de crise que assola o país”, ressaltou.


--
Assessoria de Comunicação

Aluna é hospitalizada após agressão em escola em Niterói, RJ


Menina agredida em escola no Rio foi hospitalizada (Foto: Arquivo pessoal)Menina agredida em escola no Rio foi hospitalizada (Foto: Arquivo pessoal)
Uma adolescente de 15 anos diz que foi agredida por outras três alunas dentro de uma sala da escola estadual Ruy Frazão Soares, no Engenho do Mato, em Niterói, Região Metropolitana do Rio, na manhã de quinta-feira (3). De acordo com a mãe da menina, Alessandra Gonçalves, de 42 anos, a jovem entrou em contato com os pais, com medo e assustada, depois de apanhar.
“Ela estava na escola, e por volta das 11h30 ela me ligou pedindo socorro. Eu corri pra lá com meu marido e o porteiro não quis deixar a gente entrar. Quando cheguei, as agressoras estavam sentadas e rindo, uma delas falou que a minha filha deu sorte e que elas bateriam de novo”, conta ela.
Segundo a mãe, ela levou socos no rosto, teve a cabeça batida na mesa e ficou desacordada. Duas meninas a teriam segurado enquanto uma terceira a agredia. Ainda de acordo com a família, o estado de saúde da aluna agredida é estável.
De acordo com a Secretaria Estadual de Saúde (Seeduc), também há denúncias de que o pai da jovem, que está hospitalizada, teria agredido outros estudantes ao chegar no colégio. Ele seria um ex-policial militar. Imagens das câmeras da escola estão sendo analisadas.
A secretaria afirmou que nesta sexta-feira (4) a diretora adjunta, a orientadora educacional e a mãe de um dos alunos cujo filho teria sido agredido foram à 81ª DP (Itaipu) registrar a ocorrência, já que na quinta o sistema da delegacia estava fora do ar. De acordo com informações da delegacia, a unidade aguarda a presença da diretora da escola e os responsáveis para prestar depoimento, além da alta médica da menor.
Não foi uma briguinha, uma besteira, minha filha poderia ter morrido"
Alessandra Gonçalves,
mãe de aluna agredida
A mãe da vítima disse que a escola foi omissa e não socorreu a menina. “A professora e a diretora não prestaram a menor ajuda à minha filha. Não foi uma briguinha, uma besteira, minha filha poderia ter morrido”, afirma a mãe, que diz ainda que o ataque foi furtuito e que a filha não tinha problemas com nenhum estudante.
A Secretaria de Estado de Educação contesta a versão e informa que, de acordo com a direção da unidade escolar, um professor que identificou a agressão separou as jovens e encaminhou o caso à orientadora educacional da escola.
Uma equipe composta por profissionais da própria Regional e da sede da Secretaria foi enviada à escolar para apurar o que desencadeou o problema entre as alunas e se houve negligência por parte da unidade. O Conselho Tutelar também foi acionado, segundo informações da Seeduc.
Sobre as acusações, o pai da jovem disse somente que sua versão dele está registrada pela câmera do circuito interno da escola.

Mulher assassinada no Recreio é enterrada no Rio


Corpo de Ana Lúcia Neves é enterrado; o pai Antônio Manuel, de camisa azul clara com listras, e a mãe Hilda, de camisa listrada preta e branca (Foto: Janaína Carvalho / G1)Corpo de Ana Lúcia Neves é enterrado; o pai Antônio Manuel, de camisa azul clara com listras, e a mãe Hilda, de camisa listrada preta e branca (Foto: Janaína Carvalho / G1)
Ana Lúcia Neves, de 49 anos, morta a tiros na quarta-feira (2) no Recreio dos Bandeirantes, na Zona Oeste do Rio, foi enterrada na manhã desta sexta-feira (4) no Cemitério São João Batista em Botafogo, Zona Sul do Rio. Ana era casada com Sávio Neves, diretor da companhia do trem do Corcovado.
Governador Luiz Fernando Pezão chega ao enterro de Ana Neves (Foto: Janaína Carvalho/G1)Governador Luiz Fernando Pezão chega ao enterro
de Ana Neves (Foto: Janaína Carvalho/G1)
Emocionados, os pais de Ana choraram enquanto o caixão descia para a sepultura. Autoridades do estado do Rio de Janeiro, entre elas o governador Luiz Fernando Pezão, compareceram na manhã ao velório.
 Às 9h, já tinham chegado ao local o secretário estadual de Transportes, Carlos Roberto Osório, e o chefe da Polícia Civil, Fernando Veloso. Pezão chegou por volta das 9h40.
"A gente vê cada vez mais os bandidos, o tráfico armado, uma violência imensa e inexplicável. Se é para roubar, pra que tirar a vida das pessoas? Banalizam muito a morte, é muito triste. A morte por violência me machuca muito, me dói muito. O que eu posso fazer é me empenhar, colocar toda a nossa força de segurança, como a gente tem feito, para elucidar o crime. Estou acompanhando, não só essa, mas outras investigações também, e a polícia tem respondido. Tenho certeza que a gente vai elucidar o crime", afirmou o governador.
 "O Sávio é amigo de uma vida inteira. Estudamos no Colégio Santo Inácio do primário até o último ano do segundo grau. Ele é uma pessoa extraordinária e era totalmente apaixonado pela Ana. O papel dos amigos agora é dar força para que ele possa cuidar dos filhos. A Ana era uma esposa e uma mãe maravilhosa, que amava a vida e a família. Isso é uma coisa horrorosa e difícil de compreender", acrescentou o amigo da família e também secretário Estadual de Transportes, Carlos Roberto Osório.
Ana era casada com Sávio Neves, diretor da companhia que opera o trem do Corcovado. Ele esteve no cemitério por volta das 16h50 de quinta-feira, e foi abraçado por muitos amigos e parentes. Nesta sexta, os filhos do casal estiveram no cemitério, mas foram embora antes do enterro, muito abalados. Antes do sepultamento, familiares e amigos acompanharam uma oração do Padre Omar Raposo, que é reitor do santuário do Corcovado, e trabalha com Sávio.
Padre Omar fez oração com amigos e familiares de Ana Lúcia Neves (Foto: Janaína Carvalho / G1)Padre Omar fez oração com amigos e familiares de Ana Lúcia Neves (Foto: Janaína Carvalho / G1)
"A gente hoje traz uma mensagem de esperança. A gente não pode desanimar não, a violência está aí plantada na nossa cidade, a gente tem que ter coragem para enfrentar, o poder público e toda a sociedade, as pessoas que trazem Deus no coração não podem desanimar. Essa é nossa mensagem para o dia de hoje. Queremos justiça, queremos paz, queremos mais amor nos corações. Hoje tivemos oportunidade de rezar juntos e apresentar sua alma a Deus", ressaltou o padre.
'Sem chão'
"Essa tragédia abalou muito a nossa família, a gente está sem palavras, sem chão. Essas coisas que a gente lê nos jornais, essas tragédias, quando chegam pra gente, aí a gente vê a dureza de lidar com uma coisa dessas. São três crianças de 12, 14 e 16 anos, peço que rezem pra eles, para que eles possam se conformar e ter uma vida em paz", disse, ainda quinta-feira, Maria Lucia Diniz, tia de Sávio e madrinha de casamento do casal.
Ines Maria Neves, mãe do senador Aécio Neves, que é primo de Sávio, esteve presente no velório, também quinta-feira. Sávio também tinha parentesco com Tancredo Neves e com o vice-governador do Rio, Francisco Dornelles. Aécio, o governador do Rio, Luiz Fernando Pezão, e o ex-governador Sérgio Cabral foram alguns dos que enviaram coroas de flores à família.
Investigação
Ana Lúcia Neves, de 49 anos, morta nesta quarta-feira (2) em assalto no Recreio, na Zona Oeste do Rio, foi atingida por um tiro. Inicialmente, a Secretaria Municipal de Saúde informou que ela tinha ferimentos feitos por uma faca. À noite, o secretário Daniel Soranz confirmou ao RJTV a versão da Polícia Civil, de que ela foi baleada.
A Delegacia de Homicídios informou que cinco testemunhas já foram ouvidas, três delas nesta quinta. Segundo o delegado Rivaldo Barbosa, chefe do departamento, com base nos depoimentos a polícia sabe que Ana Lúcia chegou à academia no Recreio dos Bandeirantes e teve a passagem bloqueada por uma pessoa.
"Ele chegou e trancou a passagem dela. Houve uma discussão e ela foi atingida do lado esquerdo", disse Rivaldo.
Ana Lúcia foi morta em assalto no Recreio (Foto: Reprodução / Facebook)Ana Lúcia foi morta em assalto no Recreio
(Foto: Reprodução / Facebook)
Agentes da DH estão na região e em outras áreas do Grande Rio buscando o assassino. Dois delegados estão atuando no caso. A polícia ainda busca imagens das câmeras de segurança da região.
Barbosa disse que a principal linha de investigação é latrocínio, mas não descarta a tentativa de um sequestro relâmpago. Ele não quis confirmar quantas pessoas estavam na ação. Segundo o delegado, a família de Ana Lúcia deverá ser ouvida após o enterro.
Três filhos
Natural de Portugal, Ana deixa três filhos com Sávio Neves, que é sobrinho-neto de Tancredo Neves, sobrinho do senador Francisco Dornelles e primo do senador Aécio Neves.
Após o episódio, Sávio foi avisado da morte da mulher na porta do hospital. Inconformado, foi amparado por parentes. Os pais dela, portugueses que estavam no país natal a passeio, embarcaram em um voo para o Rio para acompanhar o enterro.
Amigos criticaram a insegurança na cidade: "Um choque imenso. Difícil de acreditar até agora", lamentou Elza Calada, assessora de imprensa de Sávio. "Mais um caso inexplicável."
Ana Lucia ao lado do marido, presidente do trem do Corcovado, Savio Neves (Foto: Reprodução/Facebook)Ana Lucia ao lado do marido, presidente do trem do Corcovado, Sávio Neves (Foto: Reprodução/Facebook)
Carro da Divisão de Homicídios na porta do Lourenço Jorge (Foto: Henrique Coelho/G1)Carro da Divisão de Homicídios na porta do Lourenço Jorge (Foto: Henrique Coelho/G1)

Viúva de Amarildo responde por abandono de incapaz no Rio


Esposa e filhos de Amarildo também participam do protesto na Rocinha  (Foto: Cristiane Cardoso/G1)Esposa de Amarildo ao lado do filho
(Foto: Cristiane Cardoso/G1)
A viúva do pedreiro Amarildo de Souza, desaparecido na Rocinha desde 2013, vai responder na Justiça por abandono de incapaz. Na quinta-feira (3), Elizabeth Gomes da Silva foi notificada pela Vara da Infância e da Juventude por seu filho Anderson Dias ter trabalhado como flanelinha na Zona Sul do Rio, em 2005. Ela tem 10 dias para apresentar defesa.
O processo contra Elizabeth foi proposto naquele ano, mas foi extinto sem julgamento, em 2009. O Ministério Público recorreu e o Tribunal de Justiça mandou a ação ser continuada em 2010 e somente agora a mulher foi citada.
Anderson teria trabalhado com o tio como flanelinha, quando tinha 14 anos. Hoje, com 24, ele trabalha como modelo.
O G1 não conseguiu entrar em contato com Elisabeth para falar sobre o caso.

MP reabre inquérito
O Ministério Público reabriu investigação para saber o que o Bope estava fazendo na Rocinha na noite em que o ajudante de pedreiro Amarildo de Souza desapareceu, em 14 de julho de 2013, após ter acesso e analisar novas imagens de uma câmera de segurança instalada nas proximidades da UPP da comunidade. Dez homens da corporação são investigados.
As imagens foram gravadas na noite de 14 de julho de 2013, quase cinco horas depois de o pedreiro Amarildo ter sido levado para a sede da UPP na Rocinha. A câmera fica num ponto estratégico da rua que é o único acesso para que carros cheguem à sede da UPP. As imagens mostram que relógio marca 23h59, quando chega um comboio com quatro caminhonetes do Batalhão de Operações Especiais (Bope).
As imagens mostram que a primeira e a segunda caminhonete do Bope chegam sem ninguém na caçamba. Só a terceira e a quarta caminhonetes têm policias armados na parte traseira. Cada uma, com dois homens.
Quando o comboio acaba de entrar, ainda não é meia-noite. Os promotores descobriram que todas as quatro caminhonetes passaram pelo local com os GPS ligados. Na sede da UPP, no entanto, o equipamento de um dos carros parou de funcionar à 0h24. Doze minutos depois, essa mesma caminhonete vai embora com o GPS desligado.
À 0h36, duas caminhonetes do Bope deixam a UPP. Na primeira, há dois policiais em pé e um sentado. Em seguida, sai o carro em que o equipamento de localização por satélite não funciona. Neste, a caçamba está mais cheia. São dois policiais em pé, um agachado e outro, do lado direito, sentado, com a perna para fora.
As imagens levantaram suspeitas no MP. Os peritos, no entanto, só confirmaram a suspeita quando trataram as imagens no computador as imagens da câmera de segurança. Eles usaram variações de luz e sombra, que são elementos básicos para revelar o volume e a profundidade de objetos.
RJ Amarildo (Foto: Reprodução/GloboNews)RJ Amarildo (Foto: Reprodução/GloboNews)
Entenda o caso
O caso envolvendo o ajudante de pedreiro Amarildo de Souza começou no dia 14 de julho de 2013. Policiais da Unidade de Polícia Pacificadora da Rocinha estavam atrás dele, pois achavam que Amarildo sabia onde os traficantes guardavam armas e drogas.
Eles levaram Amarildo, primeiro, até uma das bases da UPP, na parte baixa favela. Uma câmera registrou a última imagem dele: passava das 19h. Amarildo entrou num carro da PM, que subiu para a sede da UPP, no alto do morro.
O então comandante da unidade, major Edson Santos, sempre disse que Amarildo foi ouvido por poucos minutos e que depois saiu de lá a pé, sozinho. Mas a Polícia Civil e o MP não tiveram dúvidas que o major mentiu.

A conclusão dos investigadores, em outubro do mesmo ano, foi de que a tortura aconteceu atrás dos contêineres da UPP. O ajudante de pedreiro recebeu descargas elétricas, foi sufocado com sacos plásticos e afogado num balde por quase duas horas.
Vinte e cinco policiais militares foram denunciados por tortura seguida de morte. O então comandante da UPP, Major Edson Santos, quatro PMs que participaram diretamente da violência, 12 que ficaram de vigia e 8 que estavam dentro dos contêineres e não fizeram nada pra impedir o crime.
PMs que colaboraram com as investigações contaram que o major estava em um dos contêineres e que era possível ouvir gritos. Quando os gritos pararam, segundo eles, um policial entrou num almoxarifado e pegou uma capa de moto preta. Os promotores afirmaram que o corpo foi enrolado nessa capa.
Dos 25 réus, 16 também respondem por ocultação de cadáver. A polícia civil fez várias buscas na mata, mas nunca conseguiu encontrar o corpo de Amarildo de Souza.

Suspeitos de envolvimento na morte de publicitário são presos no ES


Dois homens foram presos suspeitos de envolvimento na morte do publicitário Rodrigo Moura, de 32 anos, encontrado morto em uma ribanceira, depois de seis dias desaparecido. O primeiro foi preso há cerca de 10 dias e confessou o crime, mas a informação foi mantida em sigilo pela polícia. Nesta quinta-feira (3), foi detido um outro homem, de 26 anos, com quem a vítima teria um relacionamento amoroso.
Rodrigo Moura saiu de casa em Linhares, no Norte do Espírito Santo, por volta das 21h do dia 8 de julho, para se encontrar com uma pessoa em Aracruz. Depois disso, o publicitário não manteve nenhum contato com parentes.
Corpo encontrado em barranco é de publicitário  (Foto: Arquivo Pessoal)Corpo foi encontrado em ribanceira, em Aracruz
(Foto: Arquivo Pessoal)
Na noite do desaparecimento, o carro do publicitário foi encontrado com marcas de sangue. O corpo dele foi achado em uma ribanceira, em Aracruz, seis dias após o desaparecimento.
De acordo com o delegado titular da Delegacia de Crimes Contra a Vida (DCCV) de Aracruz, Leandro Barbosa, através das investigações, que contaram com a colaboração dos familiares da vítima, a polícia levantou as pessoas com as quais Rodrigo havia tido contato nos últimos dias de vida.
“A gente sabia que a vítima tinha uma relação homoafetiva com um homem chamado Carlos, que tinha saído há pouco tempo da cadeia, e que frequentava a Vila do Riacho. Tínhamos informações de que ele [Carlos] tentava convencer várias pessoas a praticarem crimes, como roubos e furtos”, explicou Barbosa.
Segundo o delegado, Carlos teria convencido o outro suspeito, chamado Bruno, a matar Rodrigo para que a dupla ficasse com os pertences da vítima. Bruno foi o primeiro a ser preso, no dia 24 de agosto, em Vila do Riacho, no município de Aracruz, e confessou o assassinato.
Após a prisão de Bruno, Carlos passou a trocar de endereço constantemente, para despistar a polícia. Mas, nesta quinta-feira (3), ele foi detido em uma propriedade rural situada a 25 km de Linhares, chamada Córrego do Pau Atravessado.
Ao ser localizado, ele ainda tentou enganar a polícia. ”Ele deu o nome do irmão dele, tentando se passar por outra pessoa, mas não conseguiu escapar”, disse o delegado. Na casa onde ele estava, foram apreendidas duas espingardas de cano cerrado.
De acordo com Barbosa, ele confirmou que conhecia a vítima e que estava fugindo da polícia, mas, quando perguntado de tem participação no crime, diz que só vai responder em juízo.
Os dois suspeitos, Carlos e Bruno, tiveram a prisão temporária decretada e foram encaminhados para o Centro de Detenção Provisória (CDP) de Aracruz.

ais de 300 kg de carne irregular são apreendidos em Colatina, ES

Mais de 319 kg de carne foram aprendidos em um restaurante no Centro de Colatina, região Noroeste do Espírito Santo, nesta sexta-feira (4). A vigilância sanitária decidiu interditar o estabelecimento.
As carnes foram descartadas pela Vigilância Sanitária (Foto: Reprodução/ TV Gazeta)As carnes foram descartadas pela Vigilância
Sanitária (Foto: Reprodução/ TV Gazeta)
"Foi constatada a presença de carne sem identificação, que apresentavam a característica de reaproveitamento e presença de insetos em determinados equipamentos", disse Venício Padilha, coordenador da Vigilância Sanitária.
A operação desta sexta-feira foi uma continuação do dia anterior. Na quinta-feira (3) a vigilância sanitária já havia apreendido 140 kg de carne e um tatu de quase três quilos no mesmo restaurante. A fiscalização foi realizada após uma denúncia anônima.
"As carnes de hoje apresentavam as mesmas características das carnes de ontem", disse o agente Venício Padilha.
Ele ainda informou que o restaurante foi interdidato. "A Vigilância Sanitária entrou com uma medida chamada interdição cautelar e ele terá que ficar fechado até que as adequações sanitárias necessárias sejam realizadas".
O dono do restaurante assinou um termo circunstanciado e vai responder em liberdade. Todas as carnes apreendidas foram descartadas.
* Com informações de Mayara Melo, da TV Gazeta Noroeste