PLAYER 01 WEB RADIO TROPICAL

PLAYER 01 - AUXILIAR DA WEB RADIO TROPICAL

PLAYER PARA ANDROIDE E SAMARTFONA

PLAYER PARA ANDROID E SMARTFONE PARA OUVIR CLICK NO PLAY

sexta-feira, 29 de julho de 2016

Polícia busca 2 que aliciavam jovens para prostituição infantil na Olimpíada


Gabriel BarreiraDo G1 Rio
Site usa fotos de modelos famosas para aliciar jovens (Foto: Reprodução/Internet)Site usa fotos de modelos famosas para aliciar jovens (Foto: Reprodução/Internet)
A Polícia Civil do Rio faz uma operação nesta quinta-feira (28) para prender suspeitos de aliciar adolescentes para a prostituição infantil em um condomínio na Zona Oeste do Rio, próximo ao Parque Olímpico. A oportunidade era oferecida na internet e em redes sociais como chance dos "sonhos".
De acordo com a coordenadora da operação, delegada Cristiana Bento, o grupo já usava o apartamento há mais de um ano para a prática criminosa. As jovens, diz ela, ficaram praticamente em cárcere privado e foram exploradas sexualmente.
"Sabendo que os imóveis ficariam mais caros, eles alugaram bem antes [da Olimpíada]. A intenção deles era aproveitar o aumento da demanda por causa da Olimpíada e aliciaram adolescentes de 15 e 16 anos com anúncios no Facebook", relata.
Os suspeitos foram identificados como Jonathan Alves Mendes, de 24 anos, e Márcio Garcia de Andrade, de 33 anos. Eles dividiam 3 apartamentos. Cada um deles ficava em uma unidade (uma delas, uma cobertura de luxo), enquanto o terceiro imóvel funcionava como prostíbulo. A dupla, que está foragida, negociava os programas e já teve a prisão temporária pedida.
Na internet, o grupo usava imagens — sem autorização — de mulheres famosas como a top model Adriana Lima e a miss brasil Jackelyne Oliveira. Seguidores das redes sociais chegam a questionar: "Estas meninas da foto são modelos da agência?"
No site, os farsantes ofereciam moradia em "apartamento de luxo", serviço de motorista, estética, passeios, viagens e baladas. Um dos requisitos era o "desejo ardente de ser modelo, atriz ou cantora". Segundo os autores, elas ganhariam bolsas de estudo e, em troca, cederiam participação nos lucros futuros.
As interessadas deveriam ainda enviar fotos, descrever seus sonhos e até mesmo as dificuldades que enfrentam.

PM que morreu em assalto teve irmão policial morto em outro ataque no Rio


Do G1 Rio
Vai ser enterrado na sexta-feira (29) o PM Vinicius Ferreira Dias, de 32 anos, no Cemitério do Murundu, em Realengo, na Zona Oeste. Ele foi baleado no último domingo (24) e morreu na quarta-feira (27), no Hospital Albert Schweitzer, em Realengo.
O irmão de Vinícuis, Eduardo Ferreira Dias, que também era PM, foi morto em maio deste ano durante um ataque no Morro da Mangueira, na Zona Norte. Só neste ano, já são mais de 60 mortos no estado do Rio.
Vinícius estava chegando na casa da mãe, em Realengo, quando foi abordado por criminosos, que levaram o carro e a arma dele. A mulher de Vinícius estava com ele, não foi atingida pelos disparos. O policial trabalhava no Centro de Recrutamento e Seleção de Praças da PM.
Na noite de quarta-feira (27) a base da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) da Cidade de Deus, na Zona Oeste, foi atacada por criminosos. Um policial militar foi baleado.
Identificado como soldado Gregório, ele foi atingido no ombro direito. Ele está internado no Hospital Central da PM, no Estácio, na Zona Norte do Rio. O policiamento foi reforçado na Cidade de Deus

Polícia do RJ faz ação para cumprir mandados em SP e MG


G1 Rio
A Polícia Civil do Rio de Janeiro, com o apoio do Departamento Geral de Polícia da Capital (DGPTC), da Polícia Civil de Minas Gerais e da Polícia Civil de São Paulo, realiza uma operação policial em cidades de São Paulo e de Minas Gerais para o cumprimento de mandados de busca e apreensão contra uma quadrilha suspeita de roubar bancos.
A Operação, coordenada pela Delegada de Polícia Cristiane Carvalho, foi deflagrada em decorrência da investigação realizada pela unidade que culminou nas prisões de três mulheres conhecidas como "Bonde das Loiras", em 14 de maio deste ano.
A Polícia Civil calcula que a associação criminosa tenha causado um prejuízo de milhões a diversos bancos, após a subtração de cartões bancários, geralmente de pessoas idosas, em caixas eletrônicos.
Prisão do 'Bonde das Loiras'
Em maio, três estelionatárias foram presas por policiais da 9ª DP (Catete). Conhecidas como "Bonde das Loiras", Verônica Freitas Gomes, de 19 anos, Larissa Batista de Oliveira, de 23, e Letícia do Nascimento Laurindo, de 26, ganhavam a vida roubando idosos em caixas eletrônicos do Rio. Segundo a polícia, o alvo principal do trio eram os idosos que sacavam nos caixas eletrônicos de dois bairros da Zona Sul. As três mulheres moram em São Paulo.
  •  
Trio de loiras roubava idosos em caixas eletrônicos do Rio  (Foto: Reprodução/TV Globo)Trio de loiras roubava idosos em caixas eletrônicos do Rio (Foto: Reprodução/TV Globo)
Imagens cedidas pela Polícia Civil mostraram a atuação das suspeitas, que ganhavam até R$ 30 mil a cada viagem de São Paulo para o Rio. Uma única correntista chegou a ser roubada em R$ 13 mil. Elas atuavam no fim de semana quando os caixas estão vazios.
Neste sábado, elas desembarcaram no Rio às 6h40, e às 8h já estavam em uma agência, preparando um esquema. As câmeras mostram Letícia, de 26 anos, preparando o equipamento, chamado de chupa-cabra. Segundo a polícia, elas atuavam em agências do Banco do Brasil no Flamengo e em Laranjeiras, na Zona Sul do Rio, e as investigações ocorriam havia pelo menos dois meses.

PF e MP desarticulam quadrilha de PMs que roubavam caixas eletrônicos


Alba Valéria Mendonça e Henrique CoelhoDo G1 Rio
A Polícia Federal faz uma operação nesta quinta-feira (28) para prender integrantes de duas quadrilhas comandadas por policiais militares e que roubavam caixas eletrônicos com o auxílio de maçaricos. Com o apoio do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), do Ministério Público, os agentes querem cumprir nove mandados de prisão e dois de busca e apreensão.
Ao todo, 21 pessoas foram indiciadas pela PF pelos crimes de furto qualificado e organização criminosa. Alguns integrantes da quadrilha já foram presos em flagrante.  Segundo investigações, os criminosos de outros estados - principalmente, Santa Catarina – se conectaram com policiais militares e outros criminosos fluminenses para praticar uma série de furtos.
O Delegado de Polícia Federal Wagner Menezes contou que a investigação começou em março de 2016. "Os criminosos se valiam de maçaricos e serras. As duas organizações contavam com a liderança de policiais militares e contaram com a radiofrequência da PM para serem avisados e efetuarem fuga", disse Wagner.
Os catarinenses, segundo a PF, eram recrutados por serem especialistas na técnica de corte dos caixas eletrônicos. Eles usavam serras especiais, maçaricos e furadeiras especiais para roubar, equipamentos que foram identificados durante as diligências nas bagagens aéreas dos criminosos.
De acordo com a Polícia Federal, a quadrilha era liderada por dois PMs: Aldecir Ladeira Serafim e Aldemir Ladeira Serafim, cabos respectivamente do 3o BPM (Méier) e do Batalhão de Policiamento em Vias Especiais (BPVE).

Advogado diz que preso pela PF no RJ é suspeito de ligação com terrorismo


Do G1 Rio
Chaer Kalaun, de 28 anos, preso na noite desta quarta-feira (27) pela Polícia Federal em Nova Iguaçu (Foto: Reprodução/TV Globo)Chaer Kalaun, de 28 anos, preso na noite desta
quarta-feira (27) pela Polícia Federal em
Nova Iguaçu (Foto: Reprodução/TV Globo)
O advogado do brasileiro Chaer Kalaun, de 28 anos, preso na noite desta quarta-feira (27) pelaPolícia Federal, disse que o jovem é suspeito de ter ligação com grupos terroristas. Segundo o defensor, Edson Ferreira, um juiz federal decretou a prisão temporária de Kalaum devido a algumas postagens que ele fez em redes sociais.
“Não há uma acusação básica, uma acusação completa, uma acusação definida. Apenas há suposições de que ele teria feito postagens no Facebook, postagens de ligações e até com relação ao Estado Islâmico, mas que não tem nada objetivo com relação a ele.", disse o advogado. Kalaun foi preso em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense.
"Ele não tem qualquer vinculação com o Estado Islâmico. Ele não tem ligação nenhuma, o que chamam por aí de batismo. Então, não estaria recrutando, não estaria trazendo pessoas, não estaria colaborando e não estaria incentivando projetos do Estado Islâmico”, acrescentou Ferreira.
Kalaun é brasileiro e neto de libaneses. Na infância, chegou a morar alguns anos com a avó no Líbano. Segundo reportagem da GloboNews, em 2014 ele foi preso por porte ilegal de arma de fogo, mas conseguiu o direito de responder em liberdade pouco tempo depois.
Operação Hashtag
Em dia 21 de julho, a Polícia Federal deflagrou a "Operação Hashtag", que prendeu 12 pessoas suspeitas de terrorismo em 8 estados.

No primeiro dia da operação foram compridos 10 mandados de prisão em 7 estados. As demais prisões ocorreram em Mato Grosso: no dia 22, o penúltimo foragido se entregou à PF na cidade de Vila Bela da Santíssima Trindade; no dia 24, o último suspeito foi localizado pela Polícia Militar de MT em Comodoro.

Todos os presos na operação da PF estão na penitenciária federal de Campo Grande, em Mato Grosso do Sul. A detenção é considerada de segurança máxima, e abriga presos perigosos, como o traficante Fernandinho Beira-Mar.

As prisões foram as primeiras prisões no Brasil com base na recente lei antiterrorismo, sancionada em março pela presidente afastada, Dilma Rousseff.
Também foram as primeiras detenções por suspeita de ligação com o grupo terrorista Estado Islâmico, que atua no Oriente Médio, mas tem cometido atentados em várias partes do mundo.
Além das prisões, foram cumpridos 19 mandados de busca e apreensão em dez estados – São Paulo (8); Goiás (2); Amazonas (2); Rio Grande do Sul, Paraná, Rio de Janeiro, Paraíba, Ceará, Minas Gerais e Mato Grosso (um em cada). Houve ainda duas conduções coercitivas, em São Paulo e Minas Gerais.

Jornalista japonês é furtado no aeroporto do Galeão


Do G1 Rio
Um jornalista japonês foi furtado, na tarde da última terça-feira (26), no setor de desembarque do terminal 1 do Aeroporto Internacional Tom Jobim, o RIOgaleão. De acordo com as informações da Delegacia do Aeroporto Internacional (DAIRJ), a vítima foi abordada por dois homens que trocaram a sua mochila por outra vazia.
Ainda segundo a delegacia, foi instaurado um procedimento para apurar as circunstâncias do furto praticado contra o jornalista. Os investigadores estão em busca de câmeras de segurança que possam ter gravado a ação e testemunhas que possam ajudar a identificar os autores do crime.
O procedimento está sendo encaminhado à Delegacia Especial de Apoio ao Turismo - DEAT que dará prosseguimento ao caso.
Este não foi o primeiro caso de furto aos turistas que estão vindo a trabalho ou passeio.Na manhã desta quarta-feira (27), três chineses foram assaltados na Rua Cândido Mendes, na Glória, Zona Sul do Rio. Segundo a Polícia Civil, nenhum deles era atleta. Os criminosos levaram cerca de R$ 40 mil reais (R$10 mil e 10 mil doláres).
No início do mês, dois contêineres, com equipamentos de transmissão de uma TV alemã que está no Rio de Janeiro para cobrir a Olimpíada, foram roubados na Avenida Brasil, porém, os equipamentos foras encontrados em um galpão em Magé, na Baixada Fluminense.
Além disso, um lutador de jiu-jistu da Nova Zelândia, que está no Rio à cerca de um ano, relatou em redes sociais que sofreu um sequestro relâmpago por homens com farda policial no Rio. Segundo postou Jayson (Jay) Lee neste domingo (24), ele foi obrigado a entrar em um carro e a rodar por caixas eletrônicos para sacar dinheiro.

Homem comprou carro roubado em São Fidélis


carro roubado 2807Um carro roubado há menos de duas semanas na Região Metropolitana de São Paulo, foi recuperado pela Polícia Rodoviária Federal (PRF), durante uma blitz na BR-356, em Itaperuna, no Noroeste Fluminense. O flagrante aconteceu no final da tarde de quinta-feira (28). O motorista do automóvel foi preso, suspeito de receptação e uso de documento falso.
Os policiais faziam a blitz, quando suspeitaram do motorista de uma SUV branca e deram ordem de parada. Durante a abordagem, a equipe da PRF verificou que o veículo circulava com placas clonadas. O documento apresentado pelo motorista era falso. O suspeito, de 50 anos, contou ter comprado o carro de boa fé, em São Fidélis.
Após consulta aos sistemas, os policiais constataram que o automóvel havia sido roubado há 12 dias, em Mauá, na região do ABC Paulista. A ocorrência foi encaminhada à 143ª DP (Itaperuna).